Em parceria com a Alumar e Instituto Alcoa, pacientes de hemodiálise são alfabetizados

“Comecei aprendendo soletrar, conheci as famílias das letras, juntei as sílabas, hoje, eu venci mais um desafio. Aprender a ler e escrever mudou minha vida”. Assim, a lavadeira aposentada Maria Rita Ferreira, 85 anos, disse, emocionada, ao receber o diploma de conclusão do ensino fundamental, pelo projeto “ABC Nefro”, junto com mais sete formandos. A iniciativa, idealizada pelo Hospital Universitário da UFMA, executada pela SEMED e apoiada pelo Programa de Apoio a Projetos Locais do Instituto Alcoa, oportunizou a alfabetização de jovens e adultos dentro das salas de hemodiálise do centro de nefrologia da instituição hospitalar. Na solenidade de formatura, além do diretor da Alumar, Helder Teixeira, estiveram presentes o reitor da UFMA, Natalino Salgado; a secretária municipal de educação, Caroline Salgado; a vice-prefeita de São Luís, Esmênia Miranda e a superintendente do HU-UFMA, Joyce Santos Lages.

Essa é primeira turma do projeto que recebeu, mediante o Programa de Apoio a Projetos Locais, do Instituto Alcoa, o recurso de cerca de R$164 mil para potencializar as suas atividades. A doação permitiu a implementação de uma nova metodologia de educação baseada na utilização das mídias eletrônicas como ferramenta de aprendizado. Assim, foram adquiridos tablets, televisores, computadores, equipamentos de audiovisual, jogos educativos, além da reforma da sala das professoras e da coordenadora do projeto.

“O projeto ABC Nefro é um dos programas mais importantes que firmamos parcerias. Ele tem um significado que pode ser traduzido em crescimento por meio da empatia. Ao oportunizar pessoas que estão em uma situação que requer atenção no âmbito da saúde, desfazemos nós e criamos laços. O caminho que nos conduz a um lugar melhor é o mesmo que nos convida à superação, companheirismo, solidariedade e efetiva participação”, afirmou o diretor da Alumar, Helder Teixeira.

As aulas têm sido um estímulo na vida dos pacientes que ficam horas ligados à máquina de hemodiálise. A lavradora Valdirene Pereira, 49 anos, moradora no município de Olinda Nova, faz hemodiálise há 11 anos por conta de um problema renal causado pela hipertensão. Ela só pôde estudar até o 4º ano e conta que ficou entusiasmada quando soube que poderia aprender enquanto fazia o tratamento. “As aulas me ajudaram a deixar de pensar só na minha doença. O tempo passa mais rápido e aprender é sempre bom”, disse.

“Como agente público, sinto muito orgulho. Tenho consciência que não faço mais do que a minha obrigação para melhorar a qualidade de vida das pessoas do meu estado. Hoje, sinto-me honrada em poder oferecer novas perspectivas para os nossos pacientes, por meio da educação” afirmou a superintendente do HU-UFMA, Joyce Santos Lages.

O “ABC Nefro” surgiu pela iniciativa da equipe multidisciplinar do Serviço de Nefrologia e Transplante Renal do HU-UFMA ao perceber a difícil rotina dos pacientes que são submetidos à hemodiálise, tendo em vista que eles são obrigados a permanecer em cada sessão por quatro horas, três vezes por semana. Dessa forma, essa rotina dificulta em grande parte o acesso às atividades escolares, além de ter sido observado o grande número de pacientes analfabetos, o que dificultava a compreensão do tratamento, receitas e medicamentos.

A supervisora de Relações Institucionais, Joana Burgos, destacou o evento como um momento especial, que marcou o ápice de um percurso em que todos os envolvidos demonstraram imensa dedicação. “O projeto ABC Nefro é motivo de orgulho para todos os envolvidos em algo de tamanha relevância. A Alumar, por meio do Instituto Alcoa, abraça essa causa que ensina a todos sobre a necessidade de estar presente onde se é necessário. Nossa presença nesta formatura nos emociona e ensina que a vontade é a vitória diante dos desafios e a determinação é o triunfo sobre as adversidades”, afirmou.
Conseguir assinar o próprio nome, poder ler e escrever sozinho, ter acesso aos conteúdos disponibilizados na escola de uma forma mais personalizada, atendendo às suas limitações, representam uma conquista enorme para esses pacientes. Para a vice-prefeita e professora, Esmênia Miranda, “educação vai além de repasse de conhecimento, é dignidade” afirmou, acrescentando a motivação dos alunos. “São verdadeiros guerreiros ao colocarem o desejo do conhecimento, acima das adversidades. Vida longa para cada vez mais aprender”, afirmou.

Duas décadas de parceria
A Alumar e o Hospital Universitário da UFMA (HU-UFMA), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) mantém, há 23 anos, uma sólida parceria em favor da comunidade maranhense. Nestas duas décadas, cerca de R$ 921 mil foram destinados pela Alumar, Fundação e Instituto Alcoa para ações assistenciais e promoção de saúde da mulher. Entre eles, destacam-se o apoio à “Implantação do Centro de Estudos e Pesquisa em Aleitamento Materno”, aquisição de veículos específicos para coleta de aleitamento materno e iniciativas assistenciais e preventivas concernentes à violência sexual contra crianças e adolescentes. Durante o auge da pandemia da Covid-19, entre 2020 e 2021, o Consórcio Alumar destinou cerca de R$ 386 mil em ajuda humanitária.
Sobre a Alumar

O Consórcio de Alumínio do Maranhão – Alumar é um dos maiores complexos industriais de produção de alumina e alumínio do mundo. Inaugurado em julho de 1984, é formado pelas empresas Alcoa, Rio Tinto e South32 e desempenha um papel importante no Maranhão. Cerca de 90% de seus colaboradores são maranhenses, além de contar com centenas de fornecedores locais.

O sistema de gestão da Alumar é integrado e engloba gestões de qualidade, saúde, segurança e meio ambiente estabelecido com base nas normas NBR ISO 9001, NBR ISO 14001 e NBR ISO 45001. Em 2019, obteve a certificação ASI, (Aluminium Stewardship Initiative), o mais importante Selo de Sustentabilidade na cadeia de valor do alumínio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.