Paço do Lumiar sai na frente com reajuste de 33% do salário de professores

Os professores de Paço do Lumiar estão em festa com o anúncio do pagamento do reajuste salarial da categoria que deve sair em breve. O reajuste de 33, 24% supera os realizados por gestões das outras cidades da região metropolitana, colocando Paço do Lumiar em um outro patamar. Paço agora é conhecida como a cidade da valorização dos professores.

O segmento não tem o que reclamar da gestão de Paula Azevedo que desde que assumiu a gestão tem tomado as lutas dos professores para si e resolvido todas as pendências deixadas por gestões passadas. Uma mulher de garra, de compromisso e que cumpre com a sua palavra.

Somente nos últimos meses, Paula Azevedo já realizou o pagamento das progressões, as titulações de mestrado e doutorado no município, além do pagamento do Abono_ FUNDEB para cerca de 1.400 profissionais da educação do município. Para completar a felicidade dos professores Paula Azevedo anunciou agora o reajuste salarial.

E quando a assunto é educação a prefeita, que tanto tem feito por Paço do Lumiar, agora vislumbra impulsionar a educação da cidade para ser referência no Maranhão e para alcançar isso tem investido na base: os professores.

Como segundo passo ela tem investido na vacinação dos alunos da rede pública de ensino para agilizar na retomada das aulas.

De uma coisa os luminenses podem ter certeza: Paula Azevedo tem feito história na educação de Paço do Lumiar e reserva coisas grandes para os próximos anos.

“Talvez eu não consiga resolver todos os problemas do município em poucos anos, mas o que eu puder fazer para mudar a realidade dessa cidade eu farei. Paço do Lumiar não será mais conhecida como a cidade do descaso na educação, não na minha gestão”, afirmou Paula.

A secretária de educação, Arsênia Formiga, e sua equipe têm desenvolvido ações para que os estudantes alcancem sucesso em sua trajetória escolar e afirma que “essa valorização docente deve necessariamente reverberar na sala de aula garantindo que todas as crianças, jovens e adultos tenham seu direito de aprender garantido, sobretudo após todo esse tempo fora da escola,” disse Arsênia Formiga.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.